roça

O Brasil apresenta condições naturais favoráveis para agricultura: clima ameno, solos adequados e ramificada rede hidrográfica. Esse potencial é explorado intensivamente desde os tempos da colonização, de quando herdamos o modelo ainda muito popular das grandes propriedades, produção em larga escala de uma só cultura e exportação para o exterior.

Esses métodos caracterizam o modelo agrícola produtivista, ainda o mais representativo no país e incentivado pelo Governo Federal. O modelo produtivista impressiona pelos números (é responsável por parte considerável do PIB brasileiro), porém traz uma série de malefícios sociais e ambientais: concentra riquezas e esquece os pequenos agricultores, gerando problemas sociais; avança em direção de reservas e matas para aumento do plantio; utilização em massa de fertilizantes químicos poluindo os recursos hídricos.

A atração dos incentivos para o Agronegócio (conjunto de negócios relacionados à agricultura em grande escala) e sua conseqüente alta produção, camufla as vantagens sociais que a pequena agricultura traria, principalmente a redução do êxodo rural e melhoria da qualidade de vida no campo.

Como outros modelos organizacionais voltados para alta produção e lucro, o agronegócio externa conseqüências sociais e ambientais. Pegando como exemplo a produção de energia a partir de vegetais:

A soja, plantada em grandes propriedades no modelo produtivista, monocultura, com uso excessivo de fertilizantes, onde grande parte da produção é exportada. Essas ações geram o desgaste rápido do solo, poluição dos mananciais e entraves sociais como exclusão dos mais pobres, incapacitados de concorrer com os grandes.

A substituição dessa cultura da produção por outra mais social, incluindo os produtores menores, funcionaria como alavanca para superar problemas sócio-ambientais.

Dos poucos incentivos nessa direção, achei o selo Combustível Social interessante. Dá benefícios fiscais e direito à linhas de financiamento aos produtores de biodiesel que compram determinada porcentagem de agricultores familiares. Os produtores também têm que garantir participação de uma representação dos trabalhadores rurais – sindicato, movimento social, federação – nas negociações dos contratos e preços.

Sem cama

Aluguei dois cds na bilbioteca da faculdade, Chet Baker e Baden Powell. Agora, ouvindo os discos no trabalho, lembrei de uma tirinha de American Splendor: No Hospital, Pekar tenta vender uns discos pro seu amigo Negro Velho. Negro olha os discos, reclama que só tem lixo e diz – Me procura quando tiver um Nat King COM CORDAS. Explico. Merda de cordas. Pra que estragar a produção de um disco de violão solo ou de um pequeno grupo de jazz com um arranjo barango de cordas? Não foi a primeira vez que pensei nisso, o primeiro do Milton Nascimento e Songs of Love and Hate do Leonard Cohen seriam muito mais fortes se mais crus.

Festival Música Nova 2007

Começa no dia 18 de Agosto a edição 2007 do festival de música mais interessante de São Paulo. Admito que eu, novato, só apreciei a edição anterior, mas com muito gosto e surpresa com a qualidade das apresentações.

Uma introdução para os desavisados, pelo site (capenga) do festival: Fundado em 1962 pelo compositor brasileiro Gilberto Mendes, o Festival Música Nova é o mais antigo do gênero nas Américas. O foco do FMN tem sido a grande renovação pela qual passou a música erudita contemporânea a partir dos anos 50, divulgando obras de compositores como Stockhausen, Boulez, Cage, Berio, Xennakis, e procurando sempre acompanhar o trabalho de novas gerações de compositores e intérpretes. Para a 42º edição, prevista para agosto e setembro 2007, o Festival pretende trazer atrações de grande relevo internacional, estão ainda previstas apresentações de orquestras locais e de ensembles brasileiros. Também serão realizados workshops e palestras com os músicos e compositores convidados.

O site também divulga a lista de artistas:

Internacionais:
– Arditti Quartet – Inglaterra
– Pierre Heny – França
– Ensemble L’Itinéraire – França
– Françoise Vanhecke – Bélgica
– Duo Worms-Parmeijer – Bélgica
– Universidade de Stanford – E.U.A.

Nacionais:
– Beatriz Roman
– Orquestra Sinfônica Municipal de Santos
– Orquestra de Câmara de São Paulo
– Marta Herr
– Núcleo Avançado de Performance
– Ensemble Música Nova

As apresentações serão no SESC Consolação e Vila Mariana. São gratuitas.
Confira a programação divulgada pelo SESC. Continuar lendo

domingo pança

Alemão na sumaré – para quatro mendigos. Mignon ao molho madeira apimentado, salsicha alemã, cebola frita (deusmeu), soutê e arroz a grega. Dois chopps escuros tipo sopa e sem couvert maninho. 25 pau e todo mundo feliz. Avenida Sumaré, 1293.

cebola frita

procura por podcasts e radios

A Concert by the Wesleyan Gamelan Chamber Ensemble
The Wesleyan Gamelan Chamber Ensemble in its first new York performance. Recorded at the Asia House in New York City, January 17, 1971. The ensemble is composed of native Javanese teachers and their students at Wesleyan University. The instruments used include a gender, kendang, rebab, gambang, & slentem.
Performers: Wesleyan Gamelan Chamber Ensemble
Recording Date: 1/17/1971
First Broadcast Date: 7/14/1971
Ouça/Listen

Roubado da Radiom.org