mais florestinha

O eucalipto é uma espécie exótica aclimatada no Brasil que ganhou grande importância econômica devido às suas múltiplas propriedades e usos. Atualmente é impossível pensar numa sociedade sem os produtos procedentes desta matéria prima, o que a torna extremamente importante e necessária e incentiva a produção frente a tal demanda.

A produção principal, destinada à fabricação de papel e celulose, cobre mais de três milhões de hectares em todo país, distribuídos principalmente nos Estados de Minas Gerais, Bahia, São Paulo e Paraná, onde se localizam as indústrias e suas respectivas fazendas. (SUZANO, 2006)

Como em outros cultivos em extensão, a expansão do eucalipto chama atenção pelo regime de monocultura e diminuição da diversidade de vida, mas é ainda mais controversa por levantar questões como o alto consumo de água e ressecamento do solo, a transformação da paisagem e da identidade cultural.

Por outro lado, economicamente, a cadeia produtiva do papel e celulose é extremamente viável, gera cerca de 4,1 milhões de empregos e é responsável por 4,5% do Produto Interno Bruto brasileiro. (SUZANO, 2006)

O Vale do Paraíba, ao mesmo tempo em que abriga as indústrias e recebe seus benefícios como empregos e infra-estrutura, também questiona seus impactos gerados na sociedade e no meio ambiente em que está inserido.

Em São Luís do Paraitinga ocorre um conflito de natureza política, econômica, cultural, social e ambiental em relação a atual expansão da produção de eucalipto no município. Segundo representantes locais, esta coloca em risco as tradições econômicas e culturais da cidade e deve ser controlada através de medida legislativa reguladora.

Contendo todos os atores envolvidos e a discussão já iniciada, São Luís do Paraitinga é um microcosmo para análise da eucaliptocultura, questão das mais polêmicas na agricultura atual.

época escrota

[17:09] y: cara, eu tava reparando q eu nao consigo começar a tocar sem pensar q to deixando de fazer outra coisa q era mais urgente. isso é uma merda.
[17:10] z: pois é..
[17:10] z: exatamente
[17:10] y: isso é depre
[17:12] z: total.
[17:12] z: mas eu to relaxado
[17:12] z: eu pretendo ter um ano melhor esse proximo
[17:12] z: produzir mais.. fazer as coisas rolarem
[17:12] z: tomar um pouco mais de responsabilidade em relação a isso
[17:14] y: esse é a forma mais certa de se pensar, a mais racional. mas ficar sem tocar me deixa bastante triste. ontem eu encontrei o x na rua e tava falando sobre isso. q minhas bandas acabaram, varios amigos pararam de tocar, eu mesmo tenho pouco tempo. puta epoca escrota.

The waves of blood are rushing near

“My sinful glare at nothing holds thoughts of death behind it
Skeletons in my mind commence tearing at my sanity
Vessels in my brain carry death until my birth
Come and die with me forever
Share insanity

Do you want to die!

The waves of blood are rushing near, pounding at the walls of lies
Turning off my sanity, reaching back into my mind
Non-rising body from the grave showing new reality
What I am, what I want, Im only after death”

Delícia de agilidade maligna que vinha, no meu CD (em época que nem sonhava gravar CD em casa) na mesma faixa que Raining Blood, antes da famosa introdução de bateria. E no LP, segundo um amigo, como continuação de Postmortem, a faixa anterior.

grande coisa

Não resido com minha família, mas em um imóvel alugado, o qual divido com um amigo. As contas, aluguel, condomínio, energia elétrica, telefone e seguro fiança são divididas igualmente entre os 2 moradores.

Apesar de não residir com meu “grupo familiar”, fui auxiliado pela Secretaria do _ a incluir as informações, pessoais e redimento financeiro de meus familiares, em anexo.

Como minha família reside em outro município, opitei por morar em um imóvel alugado em São Paulo, para estudar e trabalhar na cidade.

O apartamento é simples e a faculdade não é das mais caras, mas somando, os valores são altos e minha remuneração fica justa frente às despesas.

A bolsa de estudos é uma oportunidade que busco no _, como meio de continuar meus estudos.

Escolhi a modalidade Carência Financeira pois preciso trabalhar e no momento, não disponho de tempo para Iniciação Científica ou Monitoria. Apesar de me interessar por ambos e pretender me candidatar no futuro.