re-prognatas

http://www.podomatic.com/mymedia/get_media?item_id=1172752&dl=1

não é um novo programa. é a mesma segunda edição, gravada um ano atrás e que merece nova publicação, já que não está mais disponível na radio dada.

prognatas foi um programa na radio dada que teve duas edições em 2007 e contava com a ajuda de alguns amigos da época. nessa programa 2, escolheram músicas eu, samuel e lusca. eu comentei e lusca fez a trilha ao vivo.

para antiga descrição e playlist: prognatas na radio dada.

se o player não funcionar, dá pra ouvir aqui também.

superetéreo meo

soneca me subiu dois discos que anda ouvindo e eu seria egoísta se não compartilhasse o espaço de disco rígido gasto pelo sendspace. não pesquisei nada sobre os grupos, mas soam drone e ambient atual. gostei mais do keith fullerton whitman, que produz as texturas a partir ou mais próximas de instrumentos e sons terráqueos. rosy parlane é bem da síntese espacial e granular.

keith fullerton whitman – antithesis
rosy parlane – iris

VII BIMESP 2008

Complementando o último post, agora que descobri mais sobre o evento. Pelo jeito pouca gente sabe como e quando são as apresentações. Tem pouca informação na internet e algumas pessoas caíram aqui ao fazerem busca “VII BIMESP 2008” no google.

Pelo folder do evento: Em sua sétima edição, a BIMESP 2008 apresenta obras significativas do repertório internacional da música aletroacústica, premiadas do CIMESP 2007, além de concertos em homenagem póstuma a Karlheinz Stockhausen e aos 100 anos de nascimento de Olivier Messiaen. A programação conta ainda com o concerto-revisita de Gustav Mahler em gravação multipista de sua obra e transcrição inédita para dois painos por Flo Menezes.

A programação conta com o que chamam de Paineis: da Atualidade, da Música Mista, do CIMESP, e alguns outros. 2 desses serão apresentações musicais da maneira mais tradicional, pessoas tocando música com instrumentos, e esses processados eletrônicamente. Os demais Paineis, provavelmente são como o que fui na última sexta, “Painel dos países: Argentina”, no Auditório do SESC Vila Mariana. Onde as músicas foram reproduzidas mecanicamente em sistema multipista e (bem) sonorizadas em polifonia.

O “concerto” foi uma seleta de artistas argentinos atuais representantes da produção eletroacústica e apresentado e comentado por Flo Menezes. Eu desconhecia que a Argentina teve o primeiro estudio/laboratório do gênero na América do Sul e que possui bom repertório, artistas e escolas. As músicas foram boas, com lindos timbres e ambiências. Gostei mais do Fabían Luna, que mandou a mais forte e menos espacial das faixas, o que pra mim é ponto positivo.

O mais interessante do evento é justamente a oportunidade de destinar totalmente um espaço, mesmo que por um momento, ao som e a audição. Total desenvolvimento do sentido e asas à imaginação. Nada visual: nenhum rosto, capa de disco, alguem balançando varinha ou guitarra em forma de V. Só som e som.

Já os concertos serão essa semana, no teatro do SESC Vl. Mariana. E destaco dois:
Quarta, 20 às 21h. Painel da música mista 2 – Gustav Mahler revisitado – para dois pianos e eletrônica em tempo real.
Quinta, 21 às 21h. Painel da personagem – homenagem póstuma a Karlheinz Stockhausen – piano, percussão e difusão eletroacústica.

O restante da programação aqui.

perde tempo

Sente-se diante da vitrola E esqueça-se das das vicissitudes da vida Na dura labuta de todos os dias Não deve ninguém que se preze Descuidar dos prazeres da alma Discos a todos os preços

oswald de andrade também se enganava e inventava desculpas.

fausto

from fausto rapassi
to tcostab@gmail.com
date 6 August 2008 18:20
subject cultivo agosto 2008
mailed-by gmail.com

Hans, confere ai, só o manjericão ta zuado porque pegou pulgão, mas já to com tratamento intensivo de FUMO DE CORTA! em cima dele…
jAH jAH ele ta bunito denovo…

E as pimenta tão apavorando, hj vou colher todas pra nascer mês que vem TUDO DENOVO!!!!

AS PROXIMAS SAO: ANOTA AI (se tiver alguma me arruma)
– Lophophora willamsii da América do Norte e Central
– Peganum harmala da Ásia e América do Sul
– Banisteria caapi da Amazônia / A do Sul
– Piptadenia peregrina de Orenoco / A. do Sul
– Amanita muscaria da Tailândia / Ásia
– Psylocybe mexicana do México A. Norte e Central
– Stropharia cubensis do México Américas
– Rivea corymbosa do México (América Central)

kkkkkk
abs

8 attachments — Download all attachments View all images








sobre pombais

a revista eletrônica divercidade é um dos produtos do centro de estudos da metrópole, um orgão do estado de são paulo que estuda as dinâmicas das metrópoles do estado e também produz pesquisas, congressos, documentários.
o último número tem o tema conjuntos habitacionais e começa contando como contradição o ideal inicial “de inspiração socialista”, que levou o pessoal da época planejar toda a cidade, inclusive a área mais pobre onde moravam os trabalhadores e instalar tais conjuntos para colher o resultado que temos hoje, como cidade tiradentes, exemplo citado pela revista.
antes essas áreas da cidade não eram planejadas, tinham nascido naturalmente e não eram legitimadas, lê-se faltava infra-estrutura básica de rede de esgoto, abastecimento de água e luz elétrica.
apesar de apontar questões que levaram aos conjuntos sem qualidade habitacional e que planejadores ignoram, como a falta de integração da moradia com espaço que leva a segregação, a matéria afirma outras que deveriam ser banidas:
– distorção das idéias originais do conceito de conjunto habitacional não é, nem foi a raiz do problema mas o próprio conceito de isolar grande número de famílias em prédios localizados em bairros mortos, não necessariamente longes, que é.
– chama atenção ainda hoje acreditarem na baboseira da ampliação do planejamento antes reservado aos ricos ser aplicação de conceitos de arquitetura modernos ou ainda ser “começar a pensar a cidade de maneira mais democrática”.
o cem produz um conteúdo legal, mas afogado nessa história mantém a pedra amarrada no pé.
http://www.centrodametropole.org.br/divercidade