tem a versão remasterizada do reign in blood, e como é uma experiência agradável redescobrí-lo. a forma mais indicada para isso é usando-o como trilha sonora de um enfrentamento, tanto faz do quê. eu gosto de fazê-lo contra a cidade, e transpô-la à minha vontade. é meu desafio.

mesmo sem ter comprado o disco em 86, é talvez o que mais ouvi na vida. já em cd, em mais um reembolso postal da loja rock machine (encartado em quarquer nº de rock brigade), junto de camisetas mal teladas e demais artefatos metálicos, quando morava em campinas/sp ou tubarão/sc.

a tal da experiência na rua nao requer nada de mais, talvez cervejas e um bom cynar a potencializem. e garantio que a sequencia altar of sacrifice e jesus saves não será a mesma. to lembrado que já recomendei sabbath como desculpa para entorpecimento de alguns (sem nomes), mas thrash metal funciona tão bem quanto. gostei como criminally insane ganha realismo e o vocal salta na cara. percebi até certa rouquidão, como voz forçada depois de esforço. nem parece mega cleanproduction de rick rubin.

é interessante como um disco já tão acostumado (no sentido de quando ouvir mal perceber música, mas lembranças que essa traz), consegue ganhar reinterpretação apenas pela releitura da produção, sem notar nenhuma nota a mais, afinal todos riffs, solos, sílabas e levadas são decorados e fazem parte dessa nuvem que é a experiência anterior de repetidas milhões de audições em situações diferentes.

andar na rua

Para Raban a cidade não pode mais ser relacionada à imagem de uma enciclopédia, como faziam os modernistas em via de categorizar e hierarquizar os tipos urbanos, mas um “caderno de rabiscos” seria mais apropriado como exemplo do demasiado complexo “labirinto, formado como uma colméia, por redes tão diversas de interação social orientadas para metas tão diversas”. Na cidade cria-se mais ampla liberdade de ação, que deixa de exigir uma rígida formação de identidade, para favorecer uma personalidade fluida. Completa afirmando que dessa forma, para o bem ou para o mal, a cidade convida seu morador a refazê-la, a consolidá-la numa forma em que se possa viver nela. “Decida quem você é, e a cidade mais uma vez vai assumir uma forma fixa ao seu redor. Decida o que ela é, e a sua própria identidade será revelada”.

a única atitude digna de um homem superior é o persistir tenaz de uma actividade que se reconhece inútil, o hábito de uma disciplina que se sabe estéril, e o uso fixo de normas de pensamento filosófico e metafísico cuja importância se sente ser nula.