a única atitude digna de um homem superior é o persistir tenaz de uma actividade que se reconhece inútil, o hábito de uma disciplina que se sabe estéril, e o uso fixo de normas de pensamento filosófico e metafísico cuja importância se sente ser nula.

a sina do verao

eu tenho um post de natal, mas so por acaso. pelo fato de que e natal mas poderia nao ser. eu quero só avisar que durante quase um mes e por mais de 300 paginas me identifiquei avidamente com o protagonista, para 5 paginas antes do final me deparar com

entao subi e la estava ela, a garota com o olhar inocente, puro e singelo pela qual eu havia procurado durante tanto, tanto tempo. “escuta – ahem. olha so, caro s, querida L – eu vim – eu fui – espera ai – ah, sim.”

julian cope sobre sabbath e malevolência

As the first four Black Sabbath LPs attest, some of the greatest folk music of the past hundred years has been played not on traditional acoustic instruments, but channelled through solid slabs of wood with names such as Gibson and Fender etched upon their hafts. While so-called folk artists of the ‘50s and ‘60s mostly concentrated on (rescuing from obscurity then) singing rebel songs of the recent centuries, the actual cataloguing of today’s event was left to a select few rebels who were affected enough by the dystopian alienation of urban and suburban life to actually mention it. In this way, Black Sabbath’s own canon has contributed vastly to late-20th Century myth, from their more general 20th Century folk themes (space travel on ‘Into the Void’, marijuana as the new blessed sacrament on ‘Sweetleaf’) to far more specific current folk tales, such as fleeing from murderous skinheads (‘Fairies Wear Boots’), and (best of all, surely) in Geezer’s clever nursery rhyme interpretation of ‘Iron Man’, poet Ted Hughes’ post-WW2 Cold War new-myth.

http://www.headheritage.co.uk

voz do mar, rio, corrego, riacho ou tubulações

esses dias coincidiu de ouvir isso e ler isso:
foi o primeiro som que se fez ouvir? foi a carícia das águas. o oceano dos nossos ancestrais encontra-se reproduzido no últero aquoso de nossa mãe e está quimicamente relacionado com ele. oceano e mãe. ondas fustigadas na ressaca, arremessando as primeiras rochas, enquanto o anfíbio surge no mar. e embora ele possa, ocasionalmente, dar as costas às ondas, nunca escapará de seu encanto atávico. “o homem sábio deleita-se com a água”, diz Lao-tsé. todos os caminhos do homem levam à água. ela é o fundamento da paisagem sonora original e o som que, acima de todos os outros, nos dá o maior prazer, em suas incontáveis transformações. – Murray Schafer

agora quase dá pra entender o nome do blog.

seu barulho na cozinha

ora, claro que acordei de ressaca, ouvindo o barulho dela na cozinha, que ignorei, como qualquer cara sensato faria. aí ouvi quando ligou a televisão para assistir o noticiário da manhã. o aparelho estava na mesinha de canto onde se tomava café, que ela passou a coar. o cheiro era gostoso, mas não gostei do toucinho com ovos e batatas, nem tampouco do que dizia o noticiário. senti vontade de mijar e tomár água, mas não queria que ela soubesse que tinha acordado, por isso esperei, bastante chateado, mas louco pra ficar sozinho, ser o dono da casa, e ela não parava mais de fuçar pelos cantos, fodendo a paciência, até que enfim, ouvi ela passar às pressas pelo corredor…
– tenho que ir – anunciou -, já estou atrasada.
– tchau.
depois que ela bateu a porta, levantei e fui sentar na latrina. mijei, caguei, e fiquei ali sentado, longe de casa, onde quer que isso fosse…

no pórtico do quarto penso em dar um corte em quem me embroma

ah vale a pena ser poeta escutar você torcer de volta da chave na fechadura da porta abra volte veja sou um cara sem saída mas não se iluda com esta minha vida toda vez que avisto sua figura leviana no pórtico do quarto penso em dar um corte em quem me embroma sou forte abra volte veja se me entende e me ama desde o berço conservo o mesmo endereço moro na rua real grandeza abra, abra a porta volte e veja você não me engana sozinho sem amor sem carinho não digo com certeza mas posso me arruinar veja jatos de sangue espetáculos de beleza ah vale a pena ser poeta escutar você torcer de volta a chave na fechadura da porta

não há

nada que seja econômica ou socialmente inevitável tanto em relação ao declínio das cidades tradicionais, como em relação à recém-inventada decadência da nova urbanização inurbana. ao contrário, nenhum outro aspecto da nossa economia e da nossa sociedade tem sido mais intencionalmente manipulado por todo um quarto de século com o fim de atingir exatemente o que conseguimos. tem-se exigido um volume extraordinário de incentivos financeiros governamentais para obter esse nível de monotonia, esterilidade e vulgaridade. as várias décadas de discursos, textos e exortações de peritos serviram para convencer a nós e aos legisladores de que uma gororoba dessas deve fazer-nos bem, desde que esteja coberta de gramados. – jane jacobs

atravessando

as densas florestas, ele logo chegou ao coração das montanhas e ali se instalou, entre árvores e regatos, ouvindo as canções dos pássaros e cercado por bonitas flores, para praticar seu voto de oração, vigília e jejum. vestido com escassas roupas feitas de capim e pele de corça, ele se alimentava de folhas secas e frutos caídos das árvores, e a cada mes reduzia sua ração, até que no quarto mês pode viver somente de ar, sem ingerir nenhum outro alimento. com os constantes banhos e a purificação, sua cabeça parecia um relâmpago. ele podia ficar dias e dias com os braços levantados, sem se apoiar, até a terra começar a tremer com o calor de sua penitência.

Em primeiro lugar, ensinar as pessoas como ouvir mais cuidadosa e criticamente a paisagem sonora. Depois, precisamos solicitar sua ajuda para replanejá-la.

O combate à poluição sonora pela diminuição do ruído é uma abordagem negativa. É possível uma maneira de tornar a acústica ambiental um programa de estudos positivo. Que sons queremos preservar, encorajar, multiplicar? Quando soubermos responder a essa pergunta, os sons desagradáveis ou destrutivos predominarão a tal ponto que saberemos por que devemos eliminá-los. Somente uma total apreciação do ambiente acústico pode nos dar recursos para aperfeiçoar a orquestração da paisagem sonora mundial.

R. Murray Schafer, Afinação do Mundo.