Bona

É uma cerimônia fúnebre que a família organiza assim que um parente morre. Também se repete de tempos em tempos para comemoração de 5, 10 anos da morte da pessoa querida. Têm comida, muita bebida e música.

São muitas pessoas cantando, todas livres para escolher a próxima canção de acordo com o que sentir apropriado, e que será cantada por todos, mas liderada pela pessoas que escolher. Na gravação perde-se a emoção desse fluxo, que é quase um jogo, tanto de escolher e liderar a canção, como da surpresa que os outros sentem por aquela escolha.

A música é cantada, geralmente pelas senhoras, e acompanhada de batuques, normalmente tocado por homens. Durante a festa essa distinção pode ser quebrada: algumas senhoras tocam o batuque muito bem, ou lembram como se toca uma distinta canção; já os homens causam gargalhadas quando entram na roda onde as mulheres cantam e dançam.

https://sites.google.com/site/musicaeanimais/musica/musica20.mp3?attredirects=0&d=1

re-prognatas

http://www.podomatic.com/mymedia/get_media?item_id=1172752&dl=1

não é um novo programa. é a mesma segunda edição, gravada um ano atrás e que merece nova publicação, já que não está mais disponível na radio dada.

prognatas foi um programa na radio dada que teve duas edições em 2007 e contava com a ajuda de alguns amigos da época. nessa programa 2, escolheram músicas eu, samuel e lusca. eu comentei e lusca fez a trilha ao vivo.

para antiga descrição e playlist: prognatas na radio dada.

se o player não funcionar, dá pra ouvir aqui também.

superetéreo meo

soneca me subiu dois discos que anda ouvindo e eu seria egoísta se não compartilhasse o espaço de disco rígido gasto pelo sendspace. não pesquisei nada sobre os grupos, mas soam drone e ambient atual. gostei mais do keith fullerton whitman, que produz as texturas a partir ou mais próximas de instrumentos e sons terráqueos. rosy parlane é bem da síntese espacial e granular.

keith fullerton whitman – antithesis
rosy parlane – iris

VII BIMESP 2008

Complementando o último post, agora que descobri mais sobre o evento. Pelo jeito pouca gente sabe como e quando são as apresentações. Tem pouca informação na internet e algumas pessoas caíram aqui ao fazerem busca “VII BIMESP 2008” no google.

Pelo folder do evento: Em sua sétima edição, a BIMESP 2008 apresenta obras significativas do repertório internacional da música aletroacústica, premiadas do CIMESP 2007, além de concertos em homenagem póstuma a Karlheinz Stockhausen e aos 100 anos de nascimento de Olivier Messiaen. A programação conta ainda com o concerto-revisita de Gustav Mahler em gravação multipista de sua obra e transcrição inédita para dois painos por Flo Menezes.

A programação conta com o que chamam de Paineis: da Atualidade, da Música Mista, do CIMESP, e alguns outros. 2 desses serão apresentações musicais da maneira mais tradicional, pessoas tocando música com instrumentos, e esses processados eletrônicamente. Os demais Paineis, provavelmente são como o que fui na última sexta, “Painel dos países: Argentina”, no Auditório do SESC Vila Mariana. Onde as músicas foram reproduzidas mecanicamente em sistema multipista e (bem) sonorizadas em polifonia.

O “concerto” foi uma seleta de artistas argentinos atuais representantes da produção eletroacústica e apresentado e comentado por Flo Menezes. Eu desconhecia que a Argentina teve o primeiro estudio/laboratório do gênero na América do Sul e que possui bom repertório, artistas e escolas. As músicas foram boas, com lindos timbres e ambiências. Gostei mais do Fabían Luna, que mandou a mais forte e menos espacial das faixas, o que pra mim é ponto positivo.

O mais interessante do evento é justamente a oportunidade de destinar totalmente um espaço, mesmo que por um momento, ao som e a audição. Total desenvolvimento do sentido e asas à imaginação. Nada visual: nenhum rosto, capa de disco, alguem balançando varinha ou guitarra em forma de V. Só som e som.

Já os concertos serão essa semana, no teatro do SESC Vl. Mariana. E destaco dois:
Quarta, 20 às 21h. Painel da música mista 2 – Gustav Mahler revisitado – para dois pianos e eletrônica em tempo real.
Quinta, 21 às 21h. Painel da personagem – homenagem póstuma a Karlheinz Stockhausen – piano, percussão e difusão eletroacústica.

O restante da programação aqui.